Ermida de Santa Iria

Freguesia de Olho Marinho

Ermida de Santa Iria

Edificada no cimo de uma pequena colina, a cerca de 50 metros dos "Olhos d''Água" do Olho Marinho, situava-se a Ermida de Santa Iria, segundo se julga o segundo espaço de culto mais antigo construído pelo povo do Olho Marinho, no decorrer do século XV.

A escolha de Santa Iria para padroeira foi uma forma emblemática da religiosidade daquela população, uma vez que Santa Iria é a padroeira das nascentes, cujas festas em sua honra foram realizadas durante muitos anos no dia 20 de Outubro até ao ano de 1856 altura em que foi consagrada a nova Igreja matriz do Olho Marinho, cuja padroeira passou a ser o Imaculado Coração de Maria.

A Ermida, erguida pelo povo, tinha dimensões reduzidas e era modesta em termos arquitetónicos. O seu interior não tinha motivos artísticos de relevo e, na fachada exterior, apenas se destacava uma pequena torre sineira, com um sino em bronze, datado de 1782, que hoje está na Igreja Matriz.

A Ermida de Santa Iria foi o principal local de culto da população do Olho Marinho até 1856, quando foi inaugurada a Igreja do Imaculado Coração de Maria. Passados alguns anos foi desativada e o culto à sua padroeira esquecido. Em 1910, com a implantação da República, o edifício foi nacionalizado e transformado na primeira escola primária oficial da povoação. Posteriormente uma parte desse espaço foi reservado à residência dos professores. Esta situação manteve-se até 1945, data em que regressa à posse da Igreja, funcionando depois, periodicamente, como residência paroquial até à década de 1970. Mais tarde funciona como zona de convívio sendo, a partir de 1974, após ter sido totalmente reconstruído, transformado na atual sede da União de Amigos do Olho Marinho.

Partilhar: