Gruta 'Casa da Moura' ou 'Casa da Moira'

Freguesia de Olho Marinho

Gruta 'Casa da Moura' ou 'Casa da Moira'

Esta gruta está situada no Planalto das Cesaredas, no lado poente, a cerca de mil metros da atual zona residencial do Olho Marinho, foi pela primeira vez explorada nos meados da década de 1860 por Nery Delgado, um dos mais famosos precursores da arqueologia em Portugal.

A 'Casa da Moura' foi mesmo uma das primeiras grutas a merecer a atenção dos cientistas, no nosso país, tendo sido classificada no ano de 1866 como 'gruta principal' do conjunto de grutas e algares existentes no Planalto das Cesaredas.

Aqui foram encontrados e recolhidos diversos artefactos e valores arqueológicos muito importantes, entre os qua is um crânio humano, do chamado 'Homem das Cesaredas' ou de Neandertal, um dos mais importantes vestígios do homem primitivo a nível europeu.

De acordo com os diversos estudos realizados, a Gruta 'Casa da Moura' terá sido aproveitada, ao longo dos tempos, como local de reunião, habitação, local de prática de cultos religiosos e, até, como necrópole.

O primeiro trabalho desenvolvido sobre esta Gruta foi feito por Nery Delgado, e ainda hoje, é considerado uma referência muito importante para os especialistas em arqueologia, cujos materiais recolhidos na 'Casa da Moura' estão patentes nos principais museus de Lisboa, onde se podem ver peças pertencentes a várias épocas, que vão desde o Paleolítico até eras mais recentes.

Pouco tempo depois de Nery Delgado ter concluído os trabalhos de prospeção, os achados arqueológicos da 'Casa da Moura' suscitaram o interesse da comunidade científica da altura. Disso mesmo é exemplo uma notícia publicada em 1868, dois anos após a conclusão dos trabalhos de investigação, um estudo comparativo muito bem desenvolvido sobre as diversas grutas e algares existentes nas Cesaredas, dando «pela sua importância e dimensão», maior destaque à Gruta Casa da Moura.

Os resultados do estudo foram entretanto divulgados junto da comunidade arqueológica nacional e internacional, através de uma publicação em bilíngue, português e francês, com o alto patrocínio da então Real Sociedade de Geografia de Lisboa.

Apesar da antiguidade desta gruta ser anterior ao período que mediou a ocupação árabe de Portugal, a sua designação popular remete para os tempos da ocupação árabe. Ainda sobre esta gruta existe um forte imaginário popular, que permanece até aos nossos dias, reportando-se a lendas incríveis sobre túneis misteriosos que vão até Óbidos e duas arcas amaldiçoadas, uma com Peste e a outra com um Tesouro que, naturalmente, nunca foram encontrados.

Embora a atividade de Nery Delgado tenha incidido, principalmente, sobre o estudo do Paleozoico, efetuou investigações sobre as formações cenozoicas e antropozoicas, desenvolvendo também trabalho nos domínios da paleontologia e arqueologia, bem ainda como da geologia aplicada.

Partilhar: